Frango Xadrez do Eduardo

frango_xadrez_by_macan.jpgMais uma receita vinda da blogosfera, desta vez é o frango xadrez do Eduardo Maçan. Ele também é o autor da arte que ilustra a receita. E faz algumas observações sobre as receitas que ele vê por aí, com as quais eu concordo em parte. Vamos lá:

Mas o negócio é o seguinte: Antes de eu comecar a pegar o jeito na cozinha eu ficava correndo atrás das receitas pra seguir e cheguei à conclusão que elas estão todas erradas. Vai na onda de quantidades dos ingredientes que nada dá certo! É muito mais importante o modo de preparar e sua experiência do que medidas. Eu aconselho aproveitar todas as oportunidades que você tiver de observar pessoas experientes cozinhando e pedir que elas te ajudem ou ensinem.

Ainda lembro claramente o dia em que minha mãe me disse quando eu era pequeno: “Filho, um dia você vai morar sozinho e você vai precisar saber se virar, vem aqui que a mamãe vai te ensinar a cozinhar e passar sua roupa“. Eu , como todo bom filho responsável, atencioso e preocupado com o futuro respondi: “_Agora não mamãe, tou jogando videogame!”.

Dá pra imaginar porque me lembro desse dia claramente…

Mas voltando ao assunto – meu frango xadrez:
Você vai precisar do seguinte:

1. 3 pimentões, um de cada cor (verde, vermelho e amarelo, se você não sabe. Não… só tem essas cores mesmo)
2. Uma cebola (média)
3. 3 dentes de alho
4. Shoyu
5. Óleo de soja
6. sal e pimenta do reino (eu gosto de substituir por pimenta calabresa, influência direta da minha mãe. Agora eu paro de jogar video-game e dou ouvidos a ela)
7. Umas 2 rodelas de abacaxi
8. Peito de Frango desossado
9. Fécula de batata (ou maizena… sopa maggi de galinha também deve ficar “da hora”)

Você vai fazer o seguinte:

Corte o peito de frango em cubinhos pequenos. Quanto vai depender de quanto você vai fazer… uns 500g de peito de frango devem dar pra umas 4 pessoas) tempere o peito de frango picado com o shoyu (umas 3 colheres de sopa), sal e pimenta. O tamanho do pimentão também é importante, 3 pimentões grandes é pimentão pacacete, devem dar pra uns 600g de frango picado, ou mais) Amasse os dentes de alho com sal.

Corte os pimentões, a cebola e o abacaxi em cubos (não sei com certeza, mas meu palpite é que chama frango xadrez justamente por causa dos quadradinhos coloridos todos)

Pegue mais ou menos uma colher de fécula de batata e dissolva em um pouco de água.

Doure o alho em aproximadamente 3 colheres de óleo de soja (o suficiente pra não grudar a porcaria do frango no fundo da #$#@$@ da panela), e jogue o frango picado por cima, doure o frango e quando já estiver douradinho jogue os outros ingredientes todos, mexa de vez em quando, sempre em fogo baixo. Deixe os ingredientes cozinharem um pouco e soltarem seu suco, aí coloque a fécula de batata com água para engrossar um pouco o caldo.

Mexa sempre e vá usando seu olhômetro bem aferido para determinar se você está na direcão certa, você pode aproveitar para colocar mais água e shoyu se estiver ficando muito grosso, ou mais um pouquinho de fécula de batata se estiver muito ralo… tape a panela e volte de vez em quando pra mexer. É nessa hora que você descobre que 3 pimentões e uma cebola é coisa pacas.
Tape parcialmente a panela e deixe cozinhar em fogo baixo, mexendo de vez em quando até o cheiro do pimentão invadir a vizinhanca. Depois é só servir e comer feito um suíno desnutrido.

Você pode complementar com amendoim torrado sem casca antes de servir, ou ainda acrescentar moyashi (broto de feijão) na receita. Conselho: Shoyu é salgado pacas, então cuidado pra não exagerar no sal ao temperar o frango.

Receita testada e aprovada nos laboratório da macan exotic land & sea foods incorporated.

Queijadinha

Doce típico de São Cristóvão, quarta cidade mais antiga do Brasil e primeira capital de Sergipe.

Ingredientes

  • 4 ovos
  • 3 xícaras (chá) de côco fresco ralado (250g)
  • 4 colheres (sopa) de queijo de minas (meia cura) ralado
  • 1 lata de leite condensado

Modo de fazer

Coloque os ingredientes pela ordem no liqüidificador. Bata durante 3 minutos. Coloque forminhas de papel dentro de formas de empada. Despeje a massa nas forminhas e distribua numa assadeira. Leve ao forno quente (200º C) por cerca de 35 minutos.

Profiteroles da Garota sem Fio

Eis que abro o blog da Bia Kunze, a Garota Sem Fio, e dou de cara com uma receita:

Num desses grandes mistérios do Google, nas últimas semanas meu blog foi assaltado por moçoilas desesperadas atrás da receita de profiterólis (ou profiteróles, ainda não descobri a grafia correta). Tudo graças a um post de 2003, em que eu falava que havia comemorado meu aniversário com minha sobremesa favorita. Até ontem eu não entendia esse alvoroço todo, até que uma conhecida comentou que o protagonista da novela Cobras & Lagartos, o tal Foguinho, era doido por essa sobremesa. O profiterólis tem origem italiana e é basicamente composto por bombinhas de massa recheadas com sorvete (aqui no sul as chamamos de “carolinas”) e calda quente de chocolate. Aliás, dizem que a sobremesa foi tão presente na novela quanto o próprio personagem. Tá explicado o mistério. Então, povo, eis a receita. Divirtam-se!

Ingredientes:

1/2 xícara de leite integral
130 gramas de manteiga sem sal (1 bastão mais 1 colher de sobremesa)
1/4 colher de chá de sal de cozinha
1 xícara de farinha de trigo peneirada
5 ovos grandes
1 gema levemente batida
1/4 xícara de leite integral bem misturado com 1/4 de xícara de creme de leite
220 gramas de chocolate meio amargo, picado
2 xícaras de sorvete de baunilha

Preparo:

Aqueça o forno a 175ºC (fogo médio). Em uma panela média, combine o leite, manteiga, sal e meia xícara de água. Ferva. Adicione a farinha peneirada e misture com uma colher de pau até que completamente combinado. Continue mexendo, ao fogo médio, por mais 3 minutos. Transfira a massa pra uma tigela e, usando uma batedeira, bata em velocidade baixa por alguns minutos para a temperatura da massa abaixar. Aumente a velocidade para médio e adicione os ovos, um a um. Misture até que a massa fique macia e fria, em média 4 minutos.

Coloque a massa em um saco de confeiteiro (com a ponta número 9), ou utilize uma colher de sobremesa, para formar pequenos bolinhos, de mais ou menos 3 centímetros de diâmetro. Eu usei um ziploc cortado na ponta, visto que a massa é muito grudenta e meu saco de confeiteiro só vai até ponta número 5.

Coloque os bolinhos sobre uma forma forrada com papel manteiga. Pincele os bolinhos com a gema de ovo batida e leve ao forno. Asse por 45 minutos, ou até que dourado. Esfrie os bolinhos em um rack e os corte de lado com uma serra de pão.

Faça o molho de chocolate imediatamente antes de servir. Esquente o leite e creme de leite em uma panela até que faça espuma. Coloque em fogo baixo e adicione o chocolate. Misture até que todo o chocolate esteja derretido e o molho esteja macio e brilhante. Mantenha quente sobre uma panela de água borbulhando (não fervendo). Encha os bolinhos com uma pequena bola de sorvete.

Sirva o chocolate em uma molheira e leve à mesa com os bolinhos.

Tirei daqui. Na próxima vez que eu receber visitas em casa, prometo experimentar a receita.

Pão do Alex Castro

O Alex Castro, do blog Liberal Libertário Libertino, resolveu um dia fazer pão e pediu uma receita. Fez a receita que foi enviada por sua leitora Julia. Aqui está a receita, com os comentários da Julia:

Ingredientes:
– 1/2 kg de farinha de trigo refinada
– 1/2 kg de farinha de trigo integral ou farinha de centeio (aconselho fazer primeiro com trigo, o centeio é mais voluntarioso 😉 )
– 1/2 xícara de óleo (pode ser um pouco mais, o pão fica mais macio, experimente)
– 1/2 colher de sopa de sal
– Pouco menos de 1/2 litro de água morna
– 1 envelopes de fermento biológico seco

Misture as farinhas, o fermento e o sal em uma bacia. Acrescente o óleo e a água, e misture com uma colher grande até a água ser absorvida. Meta a mão na massa e amasse bem durante uns 15 minutos. A massa deve ficar macia, mas não grudar nas mãos, como um chiclete. Acrescente um pouquinho de água ou farinha se ficar muito ressecada (farinha sobrando nos cantos) ou muito mole (grudando muito nas mãos). Faça os pães em formato cilíndrico achatado, com 5-7cm de diâmetro por 20 de comprimento. Coloque em uma forma untada com óleo e deixe crescer por 20 min. Leve ao forno médio-quente e asse até ficar marronzinho. Deve dar uns 40-50 min.

Como o Alex é esfomeado, não esperou arrumar o trigo integral e fez pão branco mesmo, mas tb funciona. Também pode usar só a farinha integral. É uma receita super-hiper-mega básica, dá para ir incrementando com outros ingredientes e métodos à vontade, e é boa porque é muito rápida. Eu já tenho tanta prática que, de entrar na cozinha a colocar tudo na forma, demoro 20 minutos.

Um detalhe: o Alex experimentou fazer pão com farinhas de aveia e cevada, além de centeio e integral.

Receita sem nome

Essa receita foi inventada pela leitora Sandra e publicada em seu blog. Mas ainda não tem nome! Alguém pode nos ajudar a dar um nome?

Preparar o Shitake

Compre shitake fresco, lave, SEQUE, fatie e frite-o com azeite e só!!!! Espere secar toda a água, deixe fritar e pode até congelar (com o azeite da fritura). O cheiro é, no mínimo estranho, enquanto a água vai secando, mas passa. Eu juro! Uma bandeja dá para 3 a 4 porções congeladas.

Preparar o Broto de Bambu

Lave, fatie e cozinhe na panela de pressão, somente com água. Deixe “ao dente”. O broto de bambu não pode ser congelado. Fica molenga e aguado.

Preparar o Tempero

5 cebolas picadas, uns 15 dentes de alho, um pouco de cebolinha e salsinha. Bata tudo no liquidificador. Tempero pronto para arroz, feijão, carne, etc. Fácil, prático e agüenta bem mais de um mês na geladeira.

A Receita (para 3 a 4 pessoas)

Ingredientes

  • 1 porção de Shitake cozido
  • 3 bifes de alcatra fatiados (pode ser filet mignon)
  • 1 porção (uma xícara de chá) de broto de bambu
  • 4 colheres (sopa) de shoyo
  • 1 colher (sopa) de tempero
  • 4 colheres (sopa) de azeite
  • 4 xícaras (de chá) de água fervente
  • 1 colher (sopa) de farinha de trigo
  • Sal a gosto

Modo de fazer

Numa panela frite o tempero no azeite. Coloque a carne, deixe fritar um pouco e abaixe o fogo até que a carne comece a soltar água. Coloque a água fervente, o shoyo e o shitake. Depois de uns 10, 15 minutos de cozimento coloque o broto de bambu, acerte o sal e deixe cozinhar por mais uns 10 minutos. Pode deixar parado nessa hora, caso não vá servir de imediato.

Antes de servir, deixe levantar fervura, vá peneirando farinha na panela e vá mexendo devagar, sempre com fogo baixo, até engrossar.

Acompanha arroz branco (não necessariamente o gohan – arroz tipo japonês) e abobrinha refogada.

Abobrinha Refogada

Corte em quadrados 3 abobrinhas pequenas (diferente daquela “normal”) e sem o miolo. Numa frigideira, fite o tempero pronto no azeite. Coloque a abobrinha picada, sal e deixe fritar em fogo baixo até parecer meio “derretida” por fora, mas crocante ao morder.

Salmão grelhado com creamcheese

Para 2 pessoas.

Ingredientes

  • 1 posta de salmão
  • Sal grosso
  • Creamcheese
  • Alcaparras
  • Óleo

Modo de fazer

Passe sal grosso no salmão. Passe um pouco de óleo (bem pouquinho mesmo) no tabuleiro e coloque o salmão. Leve ao forno. Quando já estiver coradinho, tire do forno, passe o creamcheese em cima e jogue as alcaparras. Leve de volta ao forno por mais uns momentos e sirva.

🙂

Várias margaritas

Margarita Sames’s (a original)

Ingredientes

  • Copo de coquetel gelado e a borda com sal
  • 1 dose de tequila prata gelada
  • 1/2 dose de Cointreau
  • Suco de 1/2 limão
  • Fatia de limão para decorar

Modo de fazer

Numa coqueteleira junte tequila, Cointreau e suco de limão. Misture e escorra no copo gelado. Faça uma abertura com uma faca afiada na metade da rodela de limão e prenda-a no copo.

Margarita clássica

Ingredientes

  • Taça própria para margarita gelada, borda com sal
  • Limão para prender na borda
  • 1 parte de tequila branca
  • 2 partes do mix (pronto ou preparado por você)
  • 1/2 parte de Cointreau
  • 1 parte de gelo picado

Modo de fazer

Numa coqueteleira, coloque tequila, mix, Cointreau e gelo. Bata bem e distribua nas taças preparadas previamente, sem coar

Margarida

A mesma receita clássica, porém com uma boa cachaça substituindo a tequila.

Blue Margarita

A mesma receita da Margarita clássica, porém o Cointreau é substituído por Curaçao Blue.

Pizza de funghi e presunto

Ingredientes

  • 200g de funghi
  • 100g de presunto de Parma
  • 100g de creme de nozes
  • 100g de queijo parmesão
  • 1 xícara pequena de óleo de oliva
  • Uma pitada de noz-moscada
  • 1 litro de água
  • 1 kg de farinha
  • 60g de fermento
  • 30g de sal
  • 2 xícaras de azeite extravirgem de oliva

Modo de fazer

Para fazer a massa, misture com as mãos a água, a farinha, o sal, o fermento e o azeite. Ponha na geladeira e espere por seis horas. Unte um tabuleiro com óleo e abra a massa. Junte o funghi, o sal, o óleo de oliva e ponha para assar a 250 graus. Leve também ao forno um copo de aço com água para não ressecar a massa.

Só depois de dez minutos no forno, ponha o presunto de Parma e o creme de nozes. Para fazer o creme, bata a noz-moscada, o óleo de oliva e o parmesão num processador.

Risoto de carne-seca

Risoto de carne-seca (lá no Sul chama-se charque) para 4 pessoas

Ingredientes

  • 2 xícaras de arroz arbório
  • 500 g de carne seca (aparada a gordura)
  • 1 cebola média
  • 2 dentes de alho
  • 5 colheres de sopa de azeite
  • 1 pitada de louro em pó
  • 1 talo de cebolinha
  • ¾ xícara de parmesão ralado grosso
  • 1 copo de vinho branco
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 colher de chá de pimenta-do-reino

Preparo:

Um dia antes corte a carne em cubinhos e a deposite numa panela com água para dessalgar. Troque a água três vezes. Pouco antes de executar a receita enxugue e reserve.

Numa frigideira, refogue metade da cebola e do alho (sem o núcleo) picados em duas colheres do azeite. Quando a cebola ficar transparente acrescente a carne à qual já foram misturados o louro e a pimenta-do-reino e a cebolinha picada. Doure a carne, acrescente um pouco d’água e baixe o fogo. Cozinhe em pouca água até perceber a carne macia. Desligue o fogo.

Numa panela esquente o restante do azeite e refogue a cebola e o alho. Acrescente o arroz (sem lavar, por favor) e mexa até que todo ele tenha passado pelo azeite. Acrescente o vinho branco (mexendo sempre com colher ou espátula de madeira), deixe baixar a fervura e dissipar-se o vapor do álcool. Baixe para fogo médio. Na medida que for secando, junte água (quente) com uma concha. De tempos em tempos, experimente o ponto do arroz. Quando estiver próximo de al dente junte a carne com o resíduo de água que houver na frigideira (mexa bem), um minuto depois a manteiga (mexa) e o parmesão (mexa).

Retire do fogo e sirva imediatamente. Se tiver feito em panela de ferro leve-a à mesa. Mantém o risoto quente até o final da refeição.

Feliz aterrissagem.

(via Xico Vargas – no mínimo)